ACS MT
Associações de MT lançam de projeto político para as eleições municipais de 2016

IMG-20160421-WA0023Foi realizada na manhã desta quarta-feira (20/04) na Associação dos Cabos e Soldados a primeira reunião das associações dos militares com vistas a discutir projeto político para eleger um vereador militar em cada câmara municipal do Estado de Mato Grosso.

O projeto que foi pensando pelo Sargento Joelson, visa organizar e apoiar todos os candidatos oriundos da família militar que pretendem disputar as eleições municipais de 2016 tanto para vereador quanto para prefeito.

A reunião contou com a participação dos presidentes da Associação de Cabos e Soldados (ACSPMBM-MT), da Associação dos Subtenentes e Sargentos (ASSOADE), da Associação dos Militares Inativos (ASMIP), da Associação dos Oficiais (ASSOF) e ainda advogados, policiais civis, policiais militares e bombeiros militares.

Durante a reunião os participantes colocaram vários pontos de vistas, com destaque àqueles relacionados à Segurança Pública, aos policiais militares e bombeiros militares e ainda, as lutas salariais, melhoria da carreira e estrutura para as instituições militares.

Objetivamente, os dirigentes das associações decidiram pela realização de uma grande reunião em Cuiabá, no decorrer do mês de maio, com a participação de todos os militares e familiares que pretendem disputar as eleições municipais deste ano.

Ficou decidido também, como projeto prioritário das associações a eleição de pelo menos um representante da família miliciana para a câmara municipal de Cuiabá e para tanto, as associações irão se organizar para decidir uma candidatura única, que seja viável e que represente tanto a Polícia Militar quanto o Corpo de Bombeiros Militar.

O Subtenente PM Esteves, presidente da Associação de Subtenentes e Sargentos ficou muito feliz com a realização dessa primeira reunião e com a união de esforços em prol do interesse coletivo dos militares. Ele lembrou que nas eleições de 2012 e 2014 a ASSOADE já tinha esse entendimento e chegou a promover reuniões com objetivo de fortalecer a categoria no campo político. Esteves acredita que a união das associações vai fortalecer ainda mais esse projeto que a seu ver, já nasce vencedor.

As associações dos militares têm pleno entendimento que a união das entidades em prol de projetos coletivos, já ficou demonstrado que só traz benefícios para a categoria e é com esse objetivo, que se pretende lançar uma candidatura única e vencedora para a Câmara Municipal de Cuiabá, onde o candidato tenha comprometimento com as causas coletivas e jamais com projetos pessoais, esse é o pensamento do Coronel PM Wanderson, presidente da Associação dos Oficiais.

Para o Cabo Adão, presidente da ACS esse momento é histórico e representa o sonho da maioria dos militares do estado de Mato Grosso.

O Sargento Joelson, vice-presidente da Associação dos Cabos e Soldados pontuou que “essa é mais uma luta encampada pelas associações e tenho certeza que a categoria irá apoiar e caminhar junto, pois as associações já demonstraram o seu comprometimento com os militares e hoje gozam de extrema credibilidade com a família miliciana”.

Os dirigentes decidiram ainda, realizar semanalmente, reuniões com outras lideranças da categoria que queiram e possam se somar a esse projeto. E posteriormente será informado mais detalhes sobre o evento.

Fonte: ASCPMBM-MT/ASSOADE-MT/ASSOF-MT/ASMIP-MT

ACSPMBM-MT lamenta o falecimento do sargento Danilo Ramires

SGT Danilo2É com pesar que a ACSPMBM-MT, COMUNICA o falecimento do SÓCIO, 3º SGT PM DANILO NEVES RAMIRES, que atualmente servia no 3º BPM e ingressou na Polícia Militar em 01/03/1990, perfazendo mais de 20 (vinte) anos na corporação. O Sargento  faleceu, segundo informações preliminares, vítima de assalto onde teve sua arma roubada e, após ser ajoelhado, levou um tiro na nuca.

A ACSPMBM-MT manifesta sua indignação, insatisfação e revolta contra ataques e mortes a PMs que vem ocorrendo em nosso estado. Exigimos atitudes efetivas dos setores organizados (Executivo, Legislativo, Judiciário, Ministério Publico, Direitos Humanos, etc) para que mal maior não venha acontecer.

A ACSPMBM-MT expressa as mais profundas e sinceras condolências pelo falecimento do 3º sgt DANILO e deseja que Deus conforte o coração dos familiares e amigos neste momento de dor.

Fonte: ACSPMBM-MT.

Vice-presidente fala sobre os prejuízos da PL 257/2016 em entrevista ao RDNews

O vice-presidente da Associação de Cabos e Soldados de Mato Grosso (ACS-MT), Sargento PM Joelson Fernandes, participou da mobilização dos militares em Brasília. Na ocasião, a bancada que representa a categoria impediu a Câmara Federal de votar o Projeto de Lei Complementar 257/2016, do Governo Federal. Todos os  detalhes do evento e a atual situação da PM em Mato Grosso foram destacadas em entrevista ao site RDNews, do jornalista Romilson Dourado.

Segundo Joelson, o projeto sobre renegociação de dívidas dos estados penaliza a categoria, que ficaria sem reajuste e aposentadoria especial.

Todos os representantes das entidades ligadas aos militares de Mato Grosso– Associação de Cabos e Soldados da Polícia Militar e Bombeiro Militar do Estado de Mato Grosso (ACS-MT), Associação dos Oficiais da Polícia e Bombeiro Militar (Assof-MT) e a Associação dos Sargentos, Subtenentes e Oficiais Administrativo e Especialista da Polícia Militar e Bombeiros Militar Ativos e Inativos de Mato Grosso (Assoade) participaram do ato.

Veja a entrevista na íntegra: https://youtu.be/Cl2-_r8fiQg

ACS comemora suspensão temporária da discussão sobre a PLC 257/2016

O Congresso Nacional foi tomado por membros de entidades representativas de policiais e bombeiros militares de todos os estados brasileiros, nesta terça-feira (05), e junto à bancada que representa a categoria impediram a Câmara Federal de votar o Projeto de Lei Complementar 257/2016, do Governo Federal.

Todos os representantes das entidades ligadas aos militares de Mato Grosso– Associação de Cabos e Soldados da Polícia Militar e Bombeiro Militar do Estado de Mato Grosso (ACS-MT), Associação dos Oficiais da Polícia e Bombeiro Militar (Assof-MT) e a Associação dos Sargentos, Subtenentes e Oficiais Administrativo e Especialista da Polícia Militar e Bombeiros Militar Ativos e Inativos de Mato Grosso (Assoade) participaram do ato.

De acordo com a ACS-MT, por meio do vice-presidente,  Sargento PM Joelson Fernandes, a PLC prejudica o funcionalismo público, em especial os policiais militares e bombeiros militares, ativos, inativos e pensionistas.

Joelson Fernandes explica que foi consenso no colégio de líderes da Câmara que a pauta não transite antes do dia 17 de abril, data em que será definida a situação relacionada ao impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT).

“Nenhum governador tem o direito de vender o sonho do servidor em troca de negociar as dividas do estado. Não foi o servidor que causou as dividas então eles não devem ser responsabilizados. O que aconteceu ontem foi uma vitória provisória”, comemora o vice-presidente.

O projeto de lei é danoso, se aprovado, o militar  vai passar dois anos e seis meses sem ter nenhuma promoção ou reajuste salarial, a contribuição previdenciária que hoje é de 11%, subirá para 14%. O tempo de contribuição aumentará de 30 para 35 anos.

Durante a mobilização no Congresso Nacional, Oficiais e Praças participaram da leitura da nota de repúdio a PLC 257/16, resultante de um acordo entre o Governo Federal e alguns governos estaduais, para a rolagem da dívida dos Estados.

Como resultado da presença das entidades no Congresso, foi retirada da pauta a referida PLC, que seria votada nesta terça-feira.

O Cabo PM e suplente de deputado federal, Juliano Rabelo, também reforçou a comitiva de Mato Grosso. Segundo ele, a PLC esmaga todo o funcionalismo público estadual. “É um retrocesso, o governo trabalha com incompetência. Não é justo que o servidor pague uma conta que não é sua. Nós policiais e bombeiros estamos unidos, e não aceitamos este projeto”, enfatizou.