Taques critica situação da Rotam

“Imaginem, é uma equipe especializada em distúrbios civis e não existem equipamentos necessários para que eles possam exercer as suas atribuições. Faltam até escudos e os capacetes”, disse

ABDALA ZAROUR

Taques atacou o governo de MT ao qual culpa pela situação

O senador Pedro Taques (PDT-MT) voltou a atacar o governo Silval Barbosa (PMDB). Depois de criticar na tribuna do Senado, há alguns dias, a situação da educação no Estado, dessa vez, o parlamentar endureceu as críticas em relação às condições de trabalho dos policiais militares, principalmente os que integram o Batalhão da Ronda Ostensiva Tática Móvel (Rotam). O discurso foi feito nessa segunda-feira, 25.

O senador relatou que a Rotam convive com o descaso do poder público e destacou que, de acordo com denúncia anônima, o órgão sofre falta de materiais para treinamentos e para a realização de operações policiais.

“A situação da Rotam de Mato Grosso vai de mal a pior. Estamos diante de uma tragédia anunciada. Imaginem, é uma equipe especializada em distúrbios civis e não existem equipamentos necessários para que eles possam exercer as suas atribuições. Faltam até escudos e os capacetes utilizados por estes profissionais não possuem sequer proteção balística”, destacou Pedro Taques.

O senador explicou que a técnica de policiamento exige um número certo de equipamentos. Em Mato Grosso, conforme a denúncia encaminhada ao parlamentar, o Governo não oferece à Policia Militar nem a metade da estrutura prevista na Doutrina de Policiamento de Controle de Distúrbios Civis. Para Pedro Taques, a falta de estrutura da Rotam causa prejuízos não somente aos policias, mas a toda a sociedade.

Em seu discurso, o matogrossense lembrou que o estado convive com o déficit de policiais militares efetivos. “No final do ano passado, o Governo anunciou que mais 2,5 mil novos homens serão incorporados ao efetivo responsável pela segurança, até dezembro de 2013. Quero registrar que acompanhamos o anúncio e cobraremos a aplicação da medida”, pontuou.

Provavelmente, esse deve ser o ritmo das falas de Pedro Taques daqui pra frente. Ele vai usar outras vezes a tribuna do Senado para apontar novas falhas e descasos da gestão Silval Barbosa. Mesmo, neste momento, negando que não é candidato ao governo do Estado, Taques parece fazer discurso de campanha. Ele é dentro do seu partido o principal nome, não se sabe se de consenso, para disputar o Paiaguás ano que vem.

Ao desferir ataques contra Silval Barbosa o senador deixa claro que a corrida eleitoral de 2014 já começou

 

 

 

 

 

 

 

Fonte:

Matéria: http://reportermt.com.br/politica/noticia/27427#.UVGjZ_aq3h0.email

Vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=0NDT2cHqL_c